Planalto oferece cargos para barrar CPMI;  5 deputados de Rondônia assinaram documento

527
Sede do Palácio do Planalto. Foto Divulgação

O Palácio do Planalto deflagrou uma operação para convencer deputados e senadores a retirar assinaturas do requerimento que pede a abertura da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos atos golpistas de 8 de janeiro.

Cinco deputados federais de Rondônia assinaram o requerimento para instalação. São eles Lúcio Mosquini (MDB), Silvia Cristina (PL), Thiago Flores (MDB), Fernando Máximo (UB) e Coronel Chisóstomo (PL). Não aparece na relação os deputados Lebrão (UB) e Cristiane Lopes (UB) e Maurício Carvalho (UB).

Em troca da retirada dos nomes da CPMI, o governo está oferecendo cargos considerados pelo planalto de segundo escalão nos estados. O governo também tenta buscar o apoio do Planalto por meio de emendas ao Orçamento.

“Estou trabalhando para que aliados retirem as assinaturas, sim. Quem é governo não
pode querer essa CPI”, argumentou o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PTCE). Para que a CPMI seja instalada é necessário o apoio de 171 deputados e 27 senadores.

LEIA AINDA

CONFIRA A LISTA DOS DEPUTADOS DE RONDÔNIA QUE ASSINARAM A CPI DO 8 DE JANEIRO

DEPUTADO DENUNCIA SUPOSTA OFERTA DE EMENDAS EM TROCA DE RETIRADA DE NOMES DE CPMI

Fonte: Valor&MercadoRO

Deixe seu comentário