Em período de crise, diretores da Caerd recebem mais de R$ 70 mil em salários

109

Diretores da Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd) foram beneficiados no mês de maio com o salários que somam R$ 70 mil. Os valores foram denunciados durante sessão ordinária desta terça-feira (14) pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Laerte Gomes (PSDB) e criou um clima de insatisfação do parlamento com a atual diretoria da companhia.

Segundo o presidente da Assembleia, os diretores da empresa foram beneficiados com antecipação do 13º salário, férias não gozadas e um terço das férias, que somam mais de R$ 70 milhões.  “O que é mais grave é que existiam uma recomendação do Tribunal de Contas do Estado para não pagar benefícios a servidores em período de pandemia”, disse o parlamentar.

Os diretores da empresa, Vagner Marcolino, José Irineu, Sérgio Galvão, estão entre os beneficiados, além de outros servidores, conforme denunciou o presidente da Assembleia Legislativa. Entre os benefícios autorizados pelo próprios diretores, estão inclusos no contracheque deles 13° salários, saldo de salários, férias não gozadas, que somam mais de R$ 70 mil.

Socorro financeiro

Na semana passada, o diretor-presidente da Caerd, esteve na Assembleia Legislativa explicando o projeto de lei que pede autorização da Casa para aprovar R$ 12 milhões para pagamento de salários de servidores. Na sessão desta terça-feira (14) os deputados aprovaram apenas orçamento para aquisição de insumos e bombas para empresa, excluindo a reserva orçamentária para pagamento de salários.

LEIA AINDA:

Caerd pede socorro financeiro no valor R$ 12 milhões para manter companhia

EDITORIAL: O dinheiro foi pro ralo, ou melhor, pro esgoto

 

 

 

Deixe seu comentário