É fruto de planejamento não do simples acaso

A cultura perde apenas para a produção de soja e do milho, conforme levantamento feito pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri)

2

SOLANO FERREIRA

O dia de hoje tem festa no campo. Festa para celebrar o início da colheita do café canilon, cultura que trouxe um novo ânimo aos cafeicultores do estado. Isso porque em pouco tempo, Rondônia conseguiu aumentar a produtividade e melhor a qualidade do produto. A revitalização do setor é a responsável por Rondônia ser hoje o maior produtor de café do Norte e o quinto no ranking dos maiores produtores do país, 

Essa revitalização fez toda a diferença por fortalecer uma matriz econômica que hoje desponta como uma das principais de Rondônia. Não é por acaso que café tem dado uma contribuição de peso no aumento da arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) rondoniense.

Nesse item, a cultura perde apenas para a produção de soja e do milho, conforme levantamento feito pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri). Muito usado no reforço na produção da agricultura familiar, hoje a cultura é responsável por 16,16% do Valor Bruto de Produção Agropecuária (VBP) de Rondônia. 

Nos últimos anos o setor tem se apresentado tão promissor que todas as projeções do governo do estado têm sido otimistas. Para este ano, a expectativa de volume de negócio é de algo em torno de R$ 1 bilhão. E Rondônia não chegue a esse patamar também por acaso.

O investimento em pesquisa, assistência técnica, doação de mudas, melhora de materiais genéticos e novas práticas de manejo, entre outros fatores, possibilitou que Rondônia se posicionasse entre os melhores produtores de café do país e isso é fruto de planejamento não do simples acaso.

O AUTOR É JORNALISTA

Deixe seu comentário
Publicidade