Rondônia terá rota viária alternativa para escoamento de produtos para Bolívia

253
Forte Príncipe da Beira, no município de Costa Marques, na fronteira do Brasil com a Bolívia

O município de Costa Marques, na fronteira de Rondônia com o Brasil, será rota de um novo caminho alternativo para a escoamento de produtos para abastecer o mercado boliviano. A informação é do deputado estadual José Clemente (União Brasil), o Lebrão, ao participar, na cidade de San Joaquim, no Beni, de reunião para tratar sobre as ações alfandegárias necessárias para o avanço da implantação da balsa no Rio Guaporé, que vai interligar o Brasil com a Bolívia.

O encontro realizado nos dias 30 e 31, na cidade de San Joaquim, contou com a presença de autoridades de Rondônia e do Departamento do Beni. O evento foi marcado por ato simbólico de inauguração da Carretera que liga até a (Ruta9), trecho a partir da fronteira com o Brasil até a cidade histórica de San Joaquim, e que dá acesso para Trinidad e La Paz.

A iniciativa deste último encontro político de alinhamento pró-integração foi motivado pelo Governador do Beni, Dr. Alejandro Unzuela, que convidou o deputado estadual Lebrão, – coordenador da Frente Parlamentar Permanente de Integração Binacional Rondônia e Beni -, e a deputada estadual eleita, Gislaine Lebrinha, para verificação das condições de infraestrutura para a instalação de um Porto Fronteiriço em Puerto Ustarez, comunidade boliviana do município de San Joaquim, Beni, ás margens do Rio Guaporé e fronteira com o município de Costa Marques.

No lado brasileiro, há também esforços políticos bem avançados para a instalação da estrutura aduaneira.

Lebrão disse que o projeto é de interesse do Brasil e da Bolívia. “Está chegando muito perto de ficarmos frente a frente, acabando com essa novela e abrindo o porto alfandegário em Costa Marques e em Puerto Ustarez, da mesma forma estruturando a travessia entre Guajará-Mirim e Guayaramerín”, explicou.

“A integração binacional vai promover ainda mais desenvolvimento para Rondônia e o Departamento do Benin. A partir de 2023, como deputado federal, tenho o compromisso de destinar recursos e mobilizar os poderes para a conclusão desse projeto”, disse ele.

Lebrão também fez considerações sobre o apoio que recebeu do deputado federal Lúcio Mosquini, no âmbito federal e que inclusive hoje, tramita na Câmara Federal um Projeto de Lei que visa estender a Área de Livre Comércio de Guajará-Mirim – ALCGM ao Município de Costa Marques.

POTENCIAL ECONÔMICO

O governador do Beni, Dr. Unzuela ressaltou que o Beni tem realidade geográfica e potencial econômico favoráveis para o desenvolvimento e afirmou que será uma prioridade de seu governo investir no diálogo com o parlamento e em ações estruturantes para avançar no intercâmbio com Rondônia.

Em nome dos prefeitos do Vale do Guaporé, a ex-prefeita e deputada estadual eleita, Gislaine Lebrinha, defendeu a importância da integração como instrumento de desenvolvimento dos municípios que farão parte do Corredor Econômico. Somente os municípios e distritos no eixo da BR-429, somam uma população de quase 100 mil habitantes. Além disso, a região é rica em produção rural, pecuária e potencial turístico natural e cultural que deverá ser melhor explorado a integração.

Também participaram do encontro os representantes dos Ministérios das Relações Exteriores e do Comércio Exterior e Integração da Bolívia, diversos deputados e vereadores bolivianos e o presidente da Assembleia Legislativa do Beni, Edgar Avaroma, a prefeita de San Joaquim, Carmem Lobo, o deputado Estadual por Rondônia Jhony Paixão, os prefeitos Tinoco, de São Francisco do Guaporé, Armando Bernardo, de Seringueiras, Cornélio Duarte, de São Miguel do Guaporé, e os vereadores Legal, de Costa Marques, Zé da Máquina, Careca e Alan (presidente da Câmara), de São Francisco do Guaporé.

Integração Brasil / Bolívia, via Vale do Guaporé – BR-429

O projeto é uma iniciativa do Lebrão, prefeitos e lideranças da região do Vale do Guaporé, e também tem forte apoio do setor produtivo rural e empresários de Rondônia e do Mato Grosso.

Desde de 2011, busca se viabilizar com o país vizinho um corredor de integração, interligando as cidades de Costa Marques, em Rondônia, e San Joaquín/Trinidad, no Departamento de Beni, por meio de uma travessia internacional, inicialmente através de uma balsa, facilitando o intercâmbio comercial, cultural e turístico permitindo acesso brasileiro aos portos no Oceano Pacífico em Arica, no Chile e Illo, no Peru.

O Brasil já é o maior parceiro comercial da Bolívia hoje, onde cerca de 50% do gás natural consumido aqui é de origem boliviana e, com o anuncio do governo boliviano de que em 2023 produzirá em grande escala os três agro fertilizantes mais demandados e utilizados no mundo para a produção agrícola, que são a ureia, o cloreto de potássio e o terceiro que é o NPK (nitrogênio (N), fósforo (P), e potássio (K), o Estado de Rondônia e consequentemente o Brasil se beneficiarão logisticamente na aquisição desses insumos. Além disso, a Bolívia tem experimentado vasta expansão econômica na pecuária, fato este em que o lado brasileiro poderá se fortalecer com a exportação de calcário, grãos, proteína animal, implementos agrícolas e outros produtos manufaturados.

Fonte: Redação Valor&MercadoRO e Assessoria

Deixe seu comentário