Pequenas propriedades produzem alimentos e aquecem a economia

13

A agricultura familiar tem suma importância para a segurança alimentar no país, sendo responsável pela produção de 70% dos alimentos consumidos nas refeições dos brasileiros. São nas pequenas propriedades rurais que se produzem legumes, verduras, grãos e quase tudo que forram os pratos com os coloridos alimentos nutritivos. Apesar da importância alimentar, os pequenos produtores têm menos acesso ao crédito e ainda padecem com pouca ou nada de assistência técnica disponível. As técnicas agrícolas ajudam nos resultados para maior produtividade e lucratividade da pequena propriedade rural, portando um tipo de serviço que não pode faltar.

O Brasil também registrou crescimento estimado em 50% de consumo de alimentos orgânicos, aqueles cultivados com sementes crioulas (originais) e sem a adição de produtos químicos em todas as fazes de produção. Os alimentos saudáveis estão ganhando espaço, têm ótimo valor agregado, porém esse tipo de cultivo é trabalhoso e requer muito apoio técnico para tornar compensador. Esse tipo de alimento também vem das pequenas propriedades rurais onde o regime de trabalho é familiar.

O quanto mais de medidas e de políticas públicas forem criadas para incentivar os pequenos produtores, mais teremos alimentação saudável e a garantia de alimentos variados na mesa. Vale acrescentar que a produção familiar é sustentável e menos agressiva ao ecossistema. Tem ainda a importância econômica já que em 90% dos municípios com até 20 mil habitantes, a agricultura familiar é responsável pelo maior volume de comercialização de produtos, fortalecendo o desenvolvimento local sustentável.

Enfim, mesmo que o país necessite da monocultura para gerar equilíbrio na balança comercial, não pode minimizar a importância das pequenas propriedades para garantir a sobrevivências da população com o alimento nosso de cada dia. Como estamos em período de campanhas eleitorais, vale cobrar dos postulantes propostas claras para o fortalecimento desse setor. Do cheque do leite ao giro das feiras livres, tem muitos municípios que não sobrevivem sem a economia vinda da agricultura familiar.

O autor é jornalista

Deixe seu comentário