Ministro Alexandre de Moraes vai conduzir no TSE Comitê sobre Integridade Digital

15
Presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, durante a cerimônia de diplomaçãodo presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, e do vice, Geraldo Alckmin, na sede do TSE. Foto Fábio Rodrigues

Com foco nas Eleições 2024, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) instituiu o Comitê de Estudos sobre Integridade Digital e Transparência nas Plataformas de Internet no Processo Eleitoral, conforme detalhado na Portaria TSE nº 997/2023.

O comitê é multidisciplinar e reúne especialistas das áreas tecnológica, administrativa, jurídica, marketing e de outras frentes. Vale lembrar que o TSE já possui iniciativas que buscam diminuir o impacto da desinformação nas eleições como o Programa Permanente de Enfrentamento à Desinformação no Âmbito da Justiça Eleitoral.

O grupo será conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE. Os especialistas foram convidados a cooperar com o Tribunal, na matéria específica da Integridade Digital e Transparência nas Plataformas de Internet no Processo Eleitoral, para auxiliar por meio de consultas e sugestões sobre temas que lhes sejam apresentados.

Confira a composição:

1 – Ministro Alexandre de Moraes, Presidente do Tribunal e do Comitê;

2 – Ministra Cármen Lúcia, Vice-Presidente do Tribunal e do Comitê;

3 – José Fernando Moraes Chuy, Assessor Chefe da Assessoria Especial de Enfrentamento à Desinformação, que será o Secretário Administrativo do Comitê;

4 – Laura Schertel Mendes, Professora da Universidade de Brasília – UnB e do Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa – IDP e pesquisadora visitante da Universidade Goethe, Frankfurt am Main, Coordenadora do Comitê;

5 – Francisco Carvalho de Brito Cruz, Diretor Executivo do InternetLab, Coordenador Substituto do Comitê;

6 – Beatriz Kira, Professora de Direito na Universidade de Sussex, Reino Unido;

7 – Bruno Ricardo Bioni, Co-Diretor Executivo e fundador da Data Privacy Brasil, Professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM;

8 – Clara Iglesias Keller, líder de pesquisa no Instituto Weizenbaum e no Centro de Ciências Sociais de Berlim;

9 – Gabriel Campos Soares da Fonseca, líder de pesquisa no Centro de Direito, Internet e Sociedade – CEDIS/IDP; e

10 – Nina Fernandes dos Santos, Diretora do Aláfia Lab, Coordenadora do Desinformante e pesquisadora do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital da Universidade Federal da Bahia – INCT-DD/UFBA.

DG / CM, MSM

Fonte: TSE

Deixe seu comentário