Governador Marcos Rocha mantém mais de 400 militares trabalhando no CPA, diz Daniel Pereira

103

O ex-governador Daniel Pereira (Solidariedade) disse nesta terça-feira (21/06), em entrevista ao programa “A Hora do Povo”, na Rádio Rondônia FM de Porto Velho, que o governador Marcos Rocha (União Brasil), mantém mais de 400 policiais militares exercendo atividades administrativas no Centro Político Administrativo (CPA), local onde funciona o Palácio do Governo.

“O governador criou o Batalhão CPA. Segundo fontes, são mais de 400 militares em volta do governador no Palácio”, disse Daniel, ao afirmar que recentemente o Jornal Nacional noticiou que Rondônia foi o estado da federação onde o homicídio apresentou o pior índice de crescimento. “Os crimes de furtos e roubos cresceram mais de 38%”, afirmou.

A impressão de Daniel Pereira é que o governador Marcos Rocha vive com medo de sair nas ruas. “O governo deveria colocar esses profissionais de segurança nas ruas para proteger a população. Quando eu assumi o governo devolvi para o comando da Polícia Militar 80 militares e criamos três batalhões. Está na hora da população repensar que tipo de governo que queremos: um governo que vive em função de se auto proteger, ou um governo que cuida da população e colocar o pessoal de segurança para proteger o povo”.

Recentemente Daniel Pereira foi alvo de ataques por parte do governador. Marcos Rocha disse durante a abertura da Rondônia Rural Show, em Ji-Paraná, que recebeu de seu antecessor uma dívida de mais de R$ 426 milhões e faltava dinheiro em caixa para pagar os salários dos servidores.

Governo não fez transição e sem plano de trabalho

Daniel Pereira afirmou, ainda, que o governador Marcos Rocha entrou para a história de Rondônia ao ser o único governador que não fez transição de governo. “Ele nomeou seus secretários no dia 4 de janeiro de 2019 e não tinha um plano de governo. Para justificar o fracasso, precisou colocar a culpa nas costas de alguém”.

O governador Marcos Rocha, segundo Daniel Pereira, passou os dois governos na gestão Confúcio Moura (MDB) fora da função dele. Foi secretário de Educação e depois de Justiça e eleito graças o trabalho dos colegas da Sejus.

O ex-governador Daniel Pereira disse ainda que o Estado perdeu mais de R$ 350 milhões de recursos que deveriam ser aplicados na conclusão das obras da Rodovia do Boi, no sul do Estado, beneficiando os municípios de Cabixi, Cerejeiras, Pimenteiras, Chupinguaia e Corumbiara.

Ouça trechos da entrevista:

Fonte: Redação Valor&MercadoRO

Deixe seu comentário
Publicidade