Coronavírus ganha força por causa de não vacinados

20

Até ontem (06/12), vinte e quatro capitais tinham suspendidos as realizações de festas de Reveillon, tradicional em virada de ano. O motivo é a chegada da nova cepa do coronavirus, a Ômicron, e a proliferação de cepa anterior, a Delta, que vem atingindo grupos principalmente de não vacinados. Também ontem, Rondônia voltou a ter lista de espera por UTI para pacientes de covid-19, depois de oito meses de redução de casos.

A volta de contaminações ocorre por causa do relaxamento das regras de proteção epidemiológicas, principalmente o uso de máscara e álcool em gel. Um fator que chama a atenção e vem sendo alertado em todos os estados é que a maioria dos contaminados, internados em UTI e mortos nessa quarta onda está no grupo de não vacinados. Muita gente não tomou nenhuma das doses dos imunizantes e outra parte considerável não voltou para as doses de reforço. Especialistas garantem que somente com três doses é possível imunizar ou amenizar os impactos da covid-19 causadas pelas novas variantes.

O Brasil supera 90% da população-alvo vacinada com a 1ª dose, mas quanto as doses seguintes, os índices ainda não garantem a proteção das pessoas. Novas companhas vêm surgindo para conscientizar a população para o complemento do esquema vacinal. Quanto maior a resistência de grupos isolados, mas tempo levará para o País erradicar esse vírus extremamente contagioso e de fácil mutação.

Além das festas de final de ano, outra preocupação é com o Carnaval, festa tradicional que causa muita aglomeração e eleva o risco de proliferação viral. O Congresso Nacional vai discutir prós e contras para realização do Carnaval para servir de orientação para os governos estaduais nas decisões liberar ou não, a realização da festa.

Enquanto perdurar a resistência à vacinação em massa, o país estará em risco de novas ondas da doença, assim, as decisões precisam ser coletivas e assertivas para eliminar de uma vez por todas essa crise que se arrasta por quase dois anos.

Fonte: Diário da Amazônia

Deixe seu comentário
Publicidade