A criatividade tranquilamente extrapola uma oração

107

Cristiano Borges

Criatividade é um substantivo, ou seja, pode ser tanto sujeito quanto predicativo do sujeito em uma oração. Não, oração neste caso não é aquela que legitima uma situação extremamente preocupante. Tampouco se fala neste texto daquela oração profanada por alguns mercadores da fé.

A oração, como se estuda nas aulas de português, é a frase que proferimos e que pode ter o vocábulo mórfico “criatividade” expressado. No entanto, pensa-se: tudo isto dito até esta frase é muito bonito, interessante e legal, mas e a criatividade? Onde entra? Bom, além de entrar na oração, está no dia a dia de todos nós. Até de quem não se acha criativo.

Aliás, a falta de criatividade é uma crença fácil de ser superada quando as barreiras e os bloqueios comumente limitadores são ultrapassados. Ou seja, é possível superá-los para se criar cada vez mais.

É fundamental, por isto esta oração solitária aqui, ter em mente que todo mundo é criativo.

A ideia de que tem gente criativa e gente que não é criativa é uma lenda. Na verdade, qualquer pessoa pode desenvolver por meio de técnicas e treinamento. Existe até a ginástica neural que permite estimular cada vez mais as conexões dos neurônios por caminhos diferentes e, consequentemente, novos estalos de ideias.

Por outro lado, de nada adianta saber tudo isto se não se aplicar os conhecimentos e, para aplicar na sua empresa, escola, faculdade, tribunal, igreja, casa e na sua vida, você precisa praticar. Daí que o Sebrae oferta o treinamento para destravar as ideias no dia 21 de março. Trata-se da oficina “Enxame de Ideias: treinamento para a sua criatividade”.

Não perca tempo, inscreva-se em: sebrae.ro/QueroIdeias.

O autor é Analista de Marketing do Sebrae em Rondônia, professor, escritor e pós graduado em Administração de Empresas

Deixe seu comentário