Julgamento da operação policial Apocalipse

Acredito na Justiça primeiramente de Deus e depois na Justiça de Rondônia, essa última desejo que reconheça que a Operação Apocalipse é resultado de uma farsa policial

26

Herbert Lins de Albuquerque

Na quarta-feira (10/03), me enviaram vários prints de um pseudo jornalista com a publicação TIC, TAC, TIC, TAC. Bem, não me assusta e digo: Minha única conta bancária, meu imposto de renda, meu sigilo telefônico e de dados móveis, estão a disposição dos órgãos de fiscalização e controle.

Mas não me causa estranheza se forjar outros processos kafkianos! Por sua vez, acredito na Justiça primeiramente de Deus e depois na Justiça de Rondônia, essa última desejo que reconheça que a Operação Apocalipse é resultado de uma farsa policial criada por um braço podre da Polícia Civil a mando do Governador da época e seus asseclas, para assassinar reputações de adversários políticos ou de quem divergia de opiniões dentro do seu Governo.

Contudo, chegará o dia em que meus detratores sentirão vergonha e desejo a cada um muita saúde para que assistam de pé a minha vitória. Como diz uma professora da 3° Linha do Ribeirão – Nova Mamoré, que tenho o maior carinho, respeito e admiração, eu não guardo raiva, ódio e rancor, nem mesmo do escorpião ou da cobra que poderá me picar pela segunda vez, o antídoto é permanecer de bem com a vida, portanto, não espero das pessoas que me acusaram ou me acusam, parar de me acusar, mas de tentar colocar outro prego no caixão.

Mas de forma serena e tranquila, tenho certeza que a verdade vencerá e vou dedicar o resto dos meus dias, graças a generosidade do nosso Pai Celestial, ao trabalho, ler, observar, escrever e compartilhar socialmehte o conhecimento adquirido a cada instante. Lembrando: fui inocentado e inocentes aguardam julgamento – julgue de forma justa para não cometer mais injustiça.

Mas quero dizer as pessoas que se você não aprender a se respeitar, ninguém vai te respeitar, acredite sempre no seu potencial, não deixe ninguém te chantagear ou diminuir, não desista de seus sonhos, apenas mude de rota e lute sempre, como dizia o poeta: amanhã já é outro dia!

O autor é professor mestre em geografia pela Universidade Federal de Rondônia

Deixe seu comentário
Publicidade