TCE-RO passa a usar inteligência artificial para planejar fiscalizações

34
Fachada do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia

O Tribunal de Contas do Estado de Rondônia (TCE-RO) inova, mais uma vez, para melhorar a eficiência do serviço prestado à sociedade. A partir de agora, o órgão utiliza a Inteligência Artificial para auxiliar no planejamento das ações de fiscalização a serem realizadas ao longo de 2024.

De acordo com a área de fiscalização do Tribunal de Contas, a novidade não só trouxe mais segurança e assertividade, como também reduziu para poucas horas um serviço que antes levava semanas para ser realizado.

Trata-se da primeira ação efetiva relacionada ao Controle Externo Orientado por Dados (CEOD), macrodiretriz do TCE-RO. O objetivo é utilizar a Ciência de Dados e a Inteligência Artificial, a fim de otimizar as entregas do Tribunal para a sociedade, dentro da premissa de “fazer mais com menos”.

O uso de inteligência artificial, via CEOD, nessa ação se relaciona com as outras três macrodiretrizes da gestão do Tribunal. Isso porque o servidor, estimulado pelo ambiente de valorização, cria, por meio da Inteligência Artificial, o planejamento de fiscalizações para o ano todo. Essas fiscalizações, por sua vez, ajudarão na indução da efetividade de Políticas Públicas e, por consequência, promoverão um ambiente de Integridade.

De acordo com o secretário-geral de Controle Externo, Marcus Cezar Santos Filho, o uso da Inteligência Artificial revoluciona o modo de não só planejar, mas também executar as fiscalizações pelo TCE-RO. “Isso fará com que o Tribunal de Contas ganhe velocidade na sua análise e mais qualidade. E com uma vantagem: libera nosso corpo de auditores para trabalhar em ações relevantes, que induzirão a melhoria do serviço público”, acentuou.

Já o presidente do Tribunal de Contas, Wilber Coimbra, considera que esse avanço coloca o órgão como referência no uso de Inteligência Artificial para aprimorar suas fiscalizações. “Reforça ainda o nosso compromisso com a inovação e a integridade no setor público, para o bem-estar coletivo, por meio da prestação de um serviço público de controle externo qualificado”, assinala.

O QUE É O PLANO ANUAL DE FISCALIZAÇÕES 

Elaborado pelo Controle Externo do Tribunal de Contas, o Plano Anual de Fiscalizações (PAF) tem como objetivo organizar os trabalhos de fiscalização realizados pelo órgão.

Desse modo, o PAF procura identificar as auditorias e demais fiscalizações que trarão maiores benefícios à sociedade. O Tribunal realiza o plano de acordo com as melhores práticas internacionais de auditoria.

Fonte: TCE-RO

Deixe seu comentário