Rondônia criou 2.720 empresas a mais que em 2020, aponta estudo da Jucer

E assim, em 2021, apenas nos primeiros cinco meses, Rondônia registrou a nascimento de 10.872 novas empresas, que já estão produzindo e gerando empregos.

6
Avenida 7 de Setembro, no centro comercial de Porto Velho,

Contrariando as expectativas geradas pela pandemia da covid-19, o Estado de Rondônia não parou e incentivou a atividade econômica, a ponto de bater recordes na abertura de novas empresas e, por consequência, na geração de empregos, segundo apontam dados estatísticos divulgados esta semana pela Junta Comercial do Estado (Jucer).

De acordo o presidente da Junta rondoniense, José Alberto Anísio, apenas nos cinco primeiros meses de 2021, o Estado registrou a criação de nada menos que 2.720 empresas a mais do que foi criado em 2020, o que é um importante indicador do bom desempenho das políticas governamentais para o setor e incentivo que é dado à implantação de novos empreendimentos.

A comparação entre os três últimos exercícios – 2019, 2020 e 2021 – não deixa dúvida do alto desempenho da atividade econômica do Estado. De acordo com os dados da Jucer divulgados esta semana, em 2019 Rondônia registrou a criação de 8.490 empresas, com a confirmação de uma pequena baixa em 2020, quando foi registrada a abertura de 8.152 empresas. E assim, em 2021, apenas nos primeiros cinco meses, Rondônia registrou a nascimento de 10.872 novas empresas, que já estão produzindo e gerando empregos.

SUFRAMA NA REDESIM

Anísio disse também que o Estado de Rondônia (Jucer) está otimista com a possibilidade da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) aderir ao sistema da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), uma decisão que pode revolucionar o desenvolvimento e o desempenho do empreendedorismo de Rondônia.

Segundo ele, as tratativas nesta direção estão bem adiantadas. Assim que confirmada a adesão, os empreendedores de Rondônia, inscritos na Redesim, podem se cadastrar automaticamente na Suframa – este era um processo bastante demorado -, o que é um fator fundamental para os empresários que buscam a parceria da Superintendência da Zona Franca para impulsionar seus negócios.

Cabe destacar, conforme explicações da Jucer, que a Redesim é a agregação das melhores práticas nacionais, estaduais e municipais para a desburocratização do registro e legalização de empresas, em que o empreendedor, dando entrada na documentação saia da Junta Comercial, no dia seguinte ao protocolo do pedido de registro, completamente legalizado para iniciar sua atividade econômica. Ou seja, em 24 horas a maioria das empresas estarão completamente legalizadas.

O presidente credita o sucesso e o desempenho deste setor às políticas de incentivo do Governo. Para ele, o governador Marcos Rocha criou o ambiente adequado para atrair novos empreendedores que passaram a acreditar e ver o Estado como uma possibilidade latente para bons negócios. Segundo ele, neste ambiente de crise sanitária e econômica que afeta o mundo inteiro, Rondônia fez o seu papel com louvor, com iniciativas simultâneas de contenção de despesas e incentivo à produção, medidas que possibilitaram honrar seus compromissos, fazer investimentos e entronar o agronegócio como bandeira da economia rondoniense, como é do Brasil.

Fonte: Secom

Deixe seu comentário
Publicidade