Mato Grosso começa a desmontar o VLT, obra que custou R$ 1 bilhão

99
Obras tiveram início na gestão do governo Dilma Rousseff (PT). Foto: Divulgação

Nove anos depois da data prevista para entrar em funcionamento, o veículo leve sobre trilhos (VLT) que ligaria Cuiabá à vizinha Várzea Grande começou a ser desmontado pelo governo de Mato Grosso. A obra custou mais de R$ 1 bilhão em verbas federais, e 6 quilômetros de trilhos que já estavam instalados foram arrancados.

O governador que deu início à obra em 2012, Sinival Barbosa (MDB), com recursos liberados no governo de Dilma Rousseff (PT), admitiu, em acordo de delação premiada, que recebeu propinas. O VLT de Mato Grosso tinha previsão de entrar em funcionamento na Copa do Mundo do Brasil, em 2014.

A decisão de desmontar a obra foi tomada em 2020, na gestão passada, do governador Mauro Mendes (União Brasil), reeleito em 2022, que considerou a obra inviável e cuja tarifa seria mais cara para os passageiros. Segundo ele, seriam necessários mais R$ 760 milhões para terminar o VLT.

Fonte: Revista Oeste

Deixe seu comentário