Guajará-Mirim pode ter nova eleição; prefeita é denunciada por abuso de poder econômico

1395

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Rondônia pode cassar o diploma da prefeita  de Guajará-Mirim, Raissa Bento (MDB) e da vice-prefeita Marinice Granemann, e determina novas eleições.

A prefeita foi denunciada pela prática de crime de abuso de poder econômico nas eleições de 2020. A prefeita também pode ficar inelegível.

Raissa Bento foi denunciada por abuso de poder econômico nas eleições

Segundo o Ministério Público Eleitoral (MPE), ficou comprovado nos autos a prática de distribuição de combustível para eleitores participarem de carreata realizada pela prefeita eleita e de entrega de alimentos à população indígena.

A Polícia Federal, conforme apurou o site valoremercadoro.com.br, constatou na época que foram movimentados nos postos de combustíveis de Guajará mais de 600 mil litros de combustível em apenas um dia. A PF flagrou, ainda, a distribuição de combustível em um posto de gasolina de propriedade de Antônio Bento, esposo da prefeita.

Além da distribuição de combustível, a promotoria eleitoral constatou ainda a entrega de vale-combustível em dinheiro a eleitor, “demonstrando abuso de poder econômico e capacitação ilícita de votos”.

No relatório apresentado pelo desembargador Miguel Mônico, ficou comprovado o pagamento de dinheiro no valor de R$ 100,00 no dia 14 de outubro de 2020. “O dinheiro foi utilizado como forma de vale-combustível para uma eleitora participar de carreata da prefeita Raissa Bento”, disse o relator.

Na sessão da última sexta-feira (29), o presidente do TRE, desembargador Kiochi Mori, pediu vista do processo. O julgamento deve ser retomado essa semana.

LEIA AINDA:

MP move ação pública contra prefeita de Guajará e pede afastamento de gestores públicos

Fonte: Valor&MercadoRO

 

Deixe seu comentário
Publicidade