Em menos de uma semana, 11 propriedades foram invadidas em SP, MS e PR

29
Vista aerea da fazenda Norbrasil, região onde policiais militares sofreram emboscadas

A Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) manifestou repúdio contra uma série de invasões de terra que afeta, desde o último sábado (18), Mato Grosso do Sul, o Paraná e São Paulo — reduto com maior concentração de invasores. Em nota, a entidade cobra ação por parte das autoridades.

al movimento afasta investidores e cria cenário de instabilidade, além de abrir brechas para campanhas estrangeiras contra o país.

A Frente Nacional de Lutas Campo e Cidade (FNL) assumiu a autoria de onze invasões de terra desde o último fim de semana. Eis a lista:

  1. Fazenda Fernanda — Japorã (MS)
  2. Terra da extinta Polar — Ponta Grossa (PR)
  3. Fazenda Floresta — Marabá Paulista (SP)
  4. Fazenda São João — Marabá Paulista (SP)
  5. Fazenda São Lourenço — Rosana (SP)
  6. Fazenda São Domingos — Sandovalina (SP)
  7. Fazenda Santana — Planalto do Sul (SP)
  8. Fazenda Santa Rosa — Mirante do Paranapanema (SP)
  9. Fazenda Santo Antônio — Presidente Epitácio (SP)
  10. Fazenda São José — (SP)
  11. Prédio residencial em obras — (SP)

Apesar da preocupação externada pela Abag, nenhum órgão federal havia se manifestado sobre o tema. Até a última quarta-feira, 22, a entidade pedia a atenção do governo.

— Um país que está em ampla campanha na busca de investidores, nacionais e internacionais, para a garantia de seu desenvolvimento econômico-social, não pode mais conviver com invasões a propriedades rurais como novamente estamos assistindo nessas últimas semanas, por criar um clima de insegurança e desestímulo a quem planeja investir em um setor de grande importância para a economia nacional pela sua pujança e organização — sustentou a associação.

Fonte: Conexão Política

Deixe seu comentário