BR-319: Suspensão de contrato compromete prazo de reconstrução de pontes caídas

156
Ponte localizada na BR-319, que liga Rondônia ao Amazonas, desabou em 2022
Ponte localizada na BR-319, que liga Rondônia ao Amazonas, desabou em 2022

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), ligado à Superintendência Regional no Amazonas e Roraima do Ministério dos Transportes, publicou, na quarta-feira (15/2), no Diário Oficial da União (DOU) a suspensão do contrato 761/2020 com a empresa Tecon Tecnologia em Construções Ltda. que tem valor de R$ 165,7 milhões e validade até 6 de julho deste ano, para elaboração dos projetos básico e executivo de engenharia e a execução das obras de reconstrução dos 51 quilômetros entre os quilômetros 198 e 250, conhecido como  Lote ‘C’.

A suspensão do contrato compromete o prazo de entrega das obras de reconstrução de pontes que caíram na rodovia no ano passado. O Dnit divulgou no dia 4 de janeiro que a reconstrução das pontes que caíram na BR-319 não começariam antes de 90 dias. Com a suspensão do contrato, a previsão é que haja uma demora.

Conforme o órgão, por enquanto o que está sendo feito é a retirada do concreto dos rios Curuçá e Autaz-Mirim.

E, assim, esse serviço, que custa R$ 7,5 milhões em dois contratos feitos após o desabamento das pontes entre os Km 23 e 25, é esperado que acabe em 90 dias. Só então é que o Dnit diz que serão iniciadas a reconstrução das pontes.

LEIA AINDA:

DNIT suspende contrato de R$ 165,7 milhões do Lote C da BR-319 | Valor & Mercado RO (valoremercadoro.com.br)

Fonte: BNC

Deixe seu comentário