Hospital de Guajará: Unops é convocado pela Comissão de Saúde para explicar atraso na obra

14
A Unops é responsável pela obra do Hospital de Guajará

Os responsáveis pelo Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos – Unops (vencedor do projeto da construção do Hospital Regional de Guajará-Mirim, na fronteira de Rondônia com a Bolívia), foram convocados, pela segunda vez, pela Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa para prestar esclarecimentos no atraso da obra.

Requerimento de autoria da deputada estadual Taissa Souza (PSC-Guajará) foi aprovado na última terça-feira. É a segunda vez que a Comissão de Saúde vai ouvir os representantes da empresa para tratar do assunto. A convocação dos responsáveis pela empresa foi marcada para o dia 17 de outubro.

Presidida pela deputada Cláudia de Jesus (PT-Ji-Paraná), a Comissão de Saúde tem recebido uma enxurrada de denúncias na área da saúde e solicitação de pacientes para cirurgias eletivas. “A saúde está um caos. Todos os dias recebemos ligação de pacientes querendo solicitando uma cirúrgia”, disse a deputada.

O hospital terá uma área total  de 4.674 metros quadrados, 50 leitos para adultos e 12 leitos pediátricos, além de dois consultórios, três salas para parto normal e duas salas para cirurgias e atendimento de emergência. A expectativa é de que as obras iniciem em julho, com prazo de execução de 10 meses.

O  Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos – Unops é um organismo internacional das Nações Unidas, especializado em projetos de infraestrutura e possui um acordo de cooperação técnica com a Sesau, cujo objetivo é a finalização do Hospital de Guajará-Mirim e a conclusão do Centro de Medicina Tropical de Rondônia – Cemetron.

Fonte: Valor&MercadoRO

Deixe seu comentário