Emissoras de TV defendem metodologia defasada e imprecisa do Ibope

21

A saída da CEO do Ibope, Melissa Vogel, comunicada nesta sexta-feira (3/5), é mais um capítulo de uma disputa entre a Kantar Media e as emissoras Globo, Record e SBT. A briga ocorre por conta da tentativa de mudanças no modelo atual de medição da audiência, que é alvo de críticas, mas defendido pelos canais. Especialistas consideram que a metodologia utilizada hoje é imprecisa, defasada, falha e aponta dados distorcidos ao mercado, inflando a audiência das emissoras.

A medição de audiência no Brasil, atualmente, leva em conta alguns parâmetros para estabelecer o quanto um canal é assistido. Considera-se, por exemplo, que cada aparelho de televisão é visto por 3 espectadores.

A métrica é tida como falha por quem acompanha as mudanças tecnólogicas do setor. Afinal, a prática de se reunir em frente à TV é o retrato do período anterior aos streamings e aos celulares, que funcionam como telas individuais. É uma ilusão acreditar que, atualmente, em uma família composta, em média, por três pessoas todos assistam assistam o tempo todo ao mesmo programa.

Fonte: Metrópoles

Deixe seu comentário