Valor Bruto da Produção Agropecuária rondoniense sobe para R$ 18,3 bilhões durante a pandemia

“O Governo de Rondônia planejou um VBP de R$ 14 bilhões para o quatriênio 2019-2022, logo, ele já ultrapassou R$ 4 bilhões”

5
Produção de gado foi destaque, segundo relatório produzido pela Seagri. Foto: Daiana Mendonça

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), superou expectativas voltadas às atividades do setor agropecuário. Prova disto, é que atualmente, a agropecuária de Rondônia exibe números expressivos: Rondônia alcançou R$ 18,3 bilhões no Valor Básico da Produção (VBP), um aumento de 56,84% se comparado a igual período do ano passado. Esses números indicam o bom desempenho do setor.

“O Governo de Rondônia planejou um VBP de R$ 14 bilhões para o quatriênio 2019-2022, logo, ele já ultrapassou R$ 4 bilhões”, analisou hoje (24) o assessor da diretoria executiva da Seagri, Alex Rilie Moreira Rodrigues, responsável pelo Agrodados, a análise mensal dos setores componentes dessa parte da economia.

Mesmo com a alta do dólar norte- americano, não houve desaceleração do comércio do gado de corte. O VBP de dezembro a janeiro teve um crescimento de 13,14% e de janeiro para fevereiro, o crescimento foi de 3,42%. No mês passado, a arroba estava a R$ 272,50 (a maior cotação no estado) em Chupinguaia, a 700 quilômetros de Porto Velho. Já Machadinho d’Oeste, a 300 Km da Capital, teve a menor cotação, a R$ 210. Rondônia representa 7,16% do VBP bovino do País.

Para o secretário de Estado da Agricultura, Evandro Padovani, a produção diversificada e a pecuária forte estão em ascensão. sendo ainda a mais importante. “A produção de grãos é que vem se destacando hoje no estado, os quais a soja, o milho, o café, o algodão, e também tempos o peixe, o cacau e as florestas plantadas. A mecanização agrícola no Estado está avançada: hoje, só na agricultura familiar temos mais de mil tratores de pneu mecanizando o solo, recuperando áreas degradadas com pastagens antigas, fazendo a incorporação do calcário e formando novas lavouras diversas. Isso é renda para o produtor rural”.

Fonte: Secom

Deixe seu comentário
Publicidade