Socorrer quem empreende é importante para a economia

o governo de Rondônia tem se mostrado atuante e já no ano passado, no início da pandemia, colocou em prática algumas ações para assegurar aqui a manutenção de empregos

8

SOLANO FERREIRA

A crise sanitária provocada pelo surto da Covid-19 se configura como um dos maiores desafios da história recente da humanidade. Essa foi a conclusão que chegou o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), ao analisar as medidas econômicas adotadas por três países no enfrentamento à pandemia do no novo coronavírus.  

Conforme frisam os pesquisadores do instituto, os impactos socioeconômicos provocados pela Covid-19 não encontram paralelo em nenhum outro evento de proporções planetárias, como a Grande Depressão de 1929 ou a Crise Econômica e Financeira Internacional de 2007/2008.

E não é para menos. Hoje se sabe que a crise sanitária minou a economia por diversas vertentes, desde fatores de oferta, associados aos impactos negativos, tanto do contágio, quanto também as medidas de saúde pública adotada como restrições de mobilidade, fechamento temporário de empresas etc.), voltados para a redução da taxa de transmissão do vírus. 

No entanto, para amenizar o impacto que essas medidas causam, há ainda a necessidade dos governos, de forma localizada, lançarem mão de alternativas para que empresas e empregos se mantenham vivos no mercado, evitando-se assim, um colapso econômico mais profundo.

Nesse sentido, o governo de Rondônia tem se mostrado atuante e já no ano passado, no início da pandemia, colocou em prática algumas ações para assegurar aqui a manutenção de empregos e evitar o fechamento das empresas afetadas pela pandemia.

Ganha destaque entre elas a prorrogação do pagamento do ICMS vencidos no ano passado, que podem ser quitados até o dia 31 deste mês. Além disso, por meio do Refaz, o estado também permitiu a renegociação de dívidas com juros e multas menores, permitindo assim a regularidade fiscal dos empreendimentos em débito com o fisco. São medidas simples, mas que fazem uma grande diferença, tanto que o IBGE apontou Rondônia com a segunda menor taxa de desemprego do país em dezembro passado. E esse socorro nesse momento de pandemia, é fundamental para a sobrevida da economia do estado.

O AUTOR É JORNALISTA

Deixe seu comentário
Publicidade