Rondônia recebe cilindros e contêineres de oxigênio para tratamento de pacientes com Covid-19

Ação é resultado de trabalho em conjunto da bancada federal e autoridades do estado e municípios junto ao Ministério da Saúde

14
Segundo a empresa Oxiporto/Cacoal Gases, a demanda atual de oxigênio para atender apenas os seus contratos é de 240 mil metros cúbicos por mês

O estado de Rondônia recebeu na última semana, 360 cilindros de oxigênio e mais 4 remessas de oxigênio líquido em isotanque, cada um deles com capacidade de cinco mil e 400 metros cúbicos. O oxigênio é considerado essencial para o tratamento de pacientes graves da Covid-19, e devido ao colapso do sistema de saúde em Rondônia havia risco de desabastecimento nos hospitais do estado.

O envio do oxigênio foi feito pelo Ministério da Saúde, com apoio logístico do Ministério da Defesa. Ele será distribuído para abastecer os 52 municípios rondonienses conforme as demandas das unidades de saúde. De acordo com o vice-líder do Governo no Congresso, o senador rondoniense Marcos Rogério, a chegada do oxigênio é fruto de um trabalho em conjunto. “ A ação é resultado da articulação e esforço da Bancada Federal, Assembleia Legislativa, governo do estado e prefeituras junto ao Governo Federal, que nos atendeu prontamente. Registro meu agradecimento ao Ministério da Saúde e ao presidente Bolsonaro por atender nossos apelos de forma tão célere” ressaltou o senador.

Segundo o Ministério da Saúde, o fornecimento de oxigênio ao estado não tem previsão para parar e caso haja necessidade o abastecimento pode chegar a até 10 mil m³ de oxigênio líquido por dia. De acordo com os últimos dados disponibilizados pela secretaria de Saúde de Rondônia, o estado já registra cerca de 180 mil casos da Covid-19 e mais de 3.800 mortes pela doença. A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado está em 98,5%.

“Sem dúvidas a chegada do oxigênio para Rondônia é um alento. Mas, seguimos trabalhando. Enquanto não temos vacina para todos, atuamos para que não falte oxigênio e outros insumos, como medicamentos e respiradores, que são indispensáveis no tratamento de pacientes com a Covid-19”, frisou Marcos Rogério.

Fonte: Imprensa

Deixe seu comentário
Publicidade