Rondônia abate 67,64 mil cabeças de gado a menos no 2º trimestre de 2020

17
Frigorífico da JBS no município de São Miguel do Guaporé, que foi fechado pela Justiça do Trabalho durante o pico da pandemia

O Estado de Rondônia abateu 67,64 mil cabeças de bovino a menos no 2 trimestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano anterior, conforme divulgou nesta quinta-feira (10) estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No geral, segundo apurou o site valoremercadoro.com.br, o abate de 638,11 mil cabeças de bovinos a menos foi impulsionado por reduções em 22 das 27 Unidades da Federação (UFs). Entre aquelas com participação acima de 1,0%, as reduções mais significativas ocorreram em: Mato Grosso (-165,71 mil cabeças), Pará (-92,23 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (-75,54 mil cabeças), Rondônia (-67,64 mil cabeças), Bahia (-51,51 mil cabeças), São Paulo (-34,38 mil cabeças), Goiás (-32,30 mil cabeças), Rio Grande do Sul (-31,88 mil cabeças), Tocantins (-22,06 mil cabeças), Maranhão (-17,40 mil cabeças) e Acre (-16,96 mil cabeças).

Em contrapartida, as maiores variações positivas ocorreram em: Santa Catarina (+14,06 mil cabeças) e Minas Gerais (+10,04 mil cabeças). No ranking das UFs, Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 16,0% da participação nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,5%) e São Paulo (10,7%).

A justificativa na redução do abate de bovino estaria ligado a pandemia do Covid-19. Em Rondônia, dois frigoríficos foram fechados pelo Ministério Público Federal por conta do aumento de casos de coronavírus envolvendo funcionários dos frigoríficos Minerva e JBS. As duas unidades, consideradas as maiores do Estado, ficaram fechado por mais de duas semanas.

Deixe seu comentário
Publicidade