Queima de equipamento busca barrar garimpo ilegal no Amazonas

17

As ações federais de repressão ao garimpo ilegal ao longo do Rio Madeira, no Estado do Amazonas, avançaram ontem pelo segundo dia, com a destruição de todos os equipamentos encontrados pelos agentes da Operação Uiara. O Estadão acompanha as ações de fiscalização no local.

Ao menos 31 balsas e 69 dragas, que são os equipamentos usados para sugar o leito do rio, já foram destruídas pela operação, que reúne agentes de Polícia Federal, Ibama, Marinha e Aeronáutica. O que se pretende com esse gesto, que é frequentemente criticado pelo presidente Jair Bolsonaro, é inviabilizar o maquinário utilizado para a prática do crime ambiental.

Legislação

A ação tem previsão legal e é regulamentada. O prejuízo financeiro causado aos donos dos equipamentos acaba retardando os planos dos empresários do garimpo de retomarem as operações. Apesar da estrutura precária das balsas que diariamente é enfrentada pelos garimpeiros que operam os equipamentos – muitas vezes acompanhados de suas famílias -, geralmente eles não são os donos do equipamento. Trata-se, na maioria dos casos, de pessoal que presta serviços para terceiros que financiam a operação.

Fonte: Época

Deixe seu comentário
Publicidade