Porto Velho, Teresina e Campo Grande têm taxas críticas de ocupação de UTI 

As taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos no SUS mantiveram-se na última semana (de 5 a 12 de abril) predominantemente estáveis e muito elevadas.

12
Pacientes aguardam na fila de espera para cirurgia (Foto Daiane Mendonça)

Os municípios de Porto Velho (RO), Teresina (PI) e Campo Grande (MS) têm taxas críticas de ocupação de UTI superiores a 90%, segundo  apontou o boletim extraordinário Observatório da Covid-19 da Fiocruz (veja o quadro). O levantamento foi feito na última semana (de 5 a 12 de abril).

Dezenove capitais estão com taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 superiores a 90%: Porto Velho (100%), Rio Branco (93%), Belém (92%), Palmas (93%), São Luís (90%), Teresina (100%), Fortaleza (97%), Natal (97%), Maceió (90%), Aracajú
(97%), Vitória (96%), Rio de Janeiro (94%), Curitiba (97%), Florianópolis (92%), Porto Alegre (94%), Campo Grande (106%), Cuiabá (98%), Goiânia (93%) e Brasília (98%).

 

Município de Porto Velho, conforme boletim da Fiocruz, tem taxa de ocupação crítica de UTI

Cinco capitais estão com taxas superiores a 80% e inferiores a 90%: Macapá  (86%), Recife (89%), Salvador (82%), Belo Horizonte (88%) e São Paulo (84%). Manaus (73%) e João Pessoa (78%) mostram-se em zona de alerta intermediário e Boa Vista (44%)
fora da zona de alerta.

O levantamento foi feito na última semana (de 5 a 12 de abril).

Destacam-se a saída do Maranhão (78%) da zona de alerta crítico para a zona de alerta intermediário e quedas do indicador de maior monta no Pará (87% para 82%), Amapá (de 91% para 84%), Tocantins (de 95% para 90%), Paraíba (de 77% para 70%) e São Paulo (de 91% para 86%).

No Rio Grande do Sul a queda do indicador foi de 90% para 88%, mas vale sublinhar o fato do estado retornar, após seis semanas, a um patamar inferior a 90%.

Entre as capitais, sublinham-se quedas mais expressivas em Macapá (de 94% para 86%), Belo Horizonte (de 99% para 88%), São Paulo (de 91% para 84%) e Florianópolis (de 99% para 92%).

RONDÔNIA TEM TAXA DE OCUPAÇÃO SUPERIOR A 90%

Dezesseis estados e o Distrito Federal encontram-se com taxas de ocupação superiores a 90%: Rondônia (96%), Acre (92%), Tocantins (90%), Piauí (94%), Ceará (97%), Rio Grande do Norte (98%), Pernambuco (97%), Sergipe (94%), Minas Gerais (91%), Espírito Santo (95%), Rio de Janeiro (90%), Paraná (95%), Santa Catarina (97%), Mato Grosso do Sul (100%), Mato Grosso (98%), Goiás (96%) e Distrito Federal (98%). Seis estados apresentam taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos entre 80% e 89%: Pará (82%), Amapá (84%), Alagoas (88%), Bahia (84%), São Paulo (86%) e Rio Grande do Sul (88%).

Deixe seu comentário
Publicidade