Polícia de Rondônia não deixa bandidos sem resposta

A polícia de Rondônia mostra que a população não está sozinha e que ela pode confiar nos órgãos de segurança do estado

8

SOLANO FERREIRA

Em sua edição de ontem, o Diário da Amazônia cobrou dos órgãos de segurança do estado, uma respostas imediata às ameaças de morte contra o repórter, Pica-Pau, do programa “Plantão de Polícia”, da Rede TV! Rondônia. A ameaça foi veiculada na internet pelos próprios bandidos, residentes em Ariquemes, que querem matar o repórter porque suas matérias televisivas tem contribuído para livrar Rondônia da marginalidade.

Fomos veementes em nossa cobrança porque entendemos que não se pode aceitar aberrações como essa passivamente. A imprensa, assim como a sociedade, não pode condicionar suas vidas ao humor dos bandidos e o poder público tem o dever e a obrigação de garantir que profissionais, seja de que área for, vivam sob ameaças porque estão exercendo sua função.

Diante do exposto, temos aqui que reconhecer também a atuação e o esforço da Polícia Civil de Ariquemes, que ontem deflagrou a “Operação Speak” para prender esses bandidos que, por serem incompatíveis com a liberdade, têm que ser excluídos do convívio social.

E mais, a polícia confirmou que já identificou quem são os três bandidos que aparecem no vídeo fazendo a ameaça e também já conseguiu, junto à Justiça, o mandado de prisão para tirar de circulação os marginais.

Agindo assim, a polícia de Rondônia mostra que a população não está sozinha e que ela pode confiar nos órgãos de segurança do estado, mesmo com todas as dificuldades existentes no setor. E que essa resposta da polícia contribua também para evitar que aqui a imprensa seja impedida por bandidos de cumprir o seu papel. 

Como bem afirmou o delegado Rodrigo Camargo, que comandou a operação, “Nenhum profissional da imprensa deve ser tolhido de seu direito de exercer livremente sua profissão e o dever de informar”. Isso que tem que prevalecer.

O AUTOR É JORNALISTA

Deixe seu comentário
Publicidade