Plataforma Verde JBS concilia produtividade e proteção da Amazônia

17

Lançada em setembro, a Plataforma Verde JBS implementará nos próximos 5 anos um modelo sustentável de agronegócio que concilia aumento da produtividade e preservação da floresta amazônica. O projeto é parte do programa Juntos pela Amazônia, que oferecerá auxílio técnico para realizar a regularização ambiental para os pecuaristas.

O projeto utiliza a tecnologia blockchain –que usa bases e registros descentralizados– para fazer a identificação e análise de dados das propriedades envolvidas no ciclo de produção. Dessa forma, será possível identificar problemas e agir para corrigi-los, desenvolvendo estratégias de negócio para conciliar produção e preservação, explica Márcio Nappo, diretor de Sustentabilidade da JBS.

Saiba como funciona a plataforma com o infográfico:

 

Há 10 anos, a JBS mantém uma política de compra responsável de gado que usa critérios socioambientais de seleção dos fornecedores diretos. O foco, agora, é estender essa estratégia para os fornecedores dos fornecedores. Segundo Márcio, os produtores de bezerros e garrotes são, muitas vezes, donos de pequenas propriedades. “Vamos propiciar assessoria técnica para essas fazendas”, explica. O auxílio terá como base o Código Florestal Brasileiro e inclui assistência jurídica e desenvolvimento de planos de trabalho para aumentar a produtividade.

A plataforma dará suporte jurídico, técnico e ambiental a esses fornecedores para garantir que possam produzir até mais em uma área menor, regularizar e fazer o reflorestamento quando necessário, explica Márcio.

Segundo o diretor da JBS, preservar a Amazônia garante uma série de benefícios para os próprios produtores, a começar pela manutenção do ciclo de chuvas da região.

No primeiro momento, a adesão dos pecuaristas é voluntária. Com a implantação gradual do sistema, a partir de 2026, estar na plataforma blockchain se tornará uma condição para trabalhar junto à JBS.

Plataforma pública para mudança setorial

Em 2025, o programa da JBS tornará pública a plataforma blockchain para todo o setor, que deve estar alinhado para a implementação de uma produção sustentável.

Faremos uma revolução silenciosa na pecuária brasileira e trazendo ela para o século 21 em termos de transparência e conformidade ambiental”, afirma.

Fundo JBS pela Amazônia

O programa também inclui a criação do Fundo JBS pela Amazônia, que investirá, ao menos, R$250 milhões nos próximos 5 anos em projetos voltados para conservação e restauração da floresta, desenvolvimento socioeconômico das comunidades tradicionais e apoio à pesquisa científica e inovação tecnológica.

Hoje, infelizmente, existe uma equação perversa em que a floresta derrubada vale mais que ela em pé”, explica Márcio. Com o programa, a JBS pretende inverter a lógica dessa equação e gerar valor a partir da floresta em pé.

Fonte: Poder360

 

Deixe seu comentário
Publicidade