Nova rodoviária de Porto Velho se tornou um grande desafio para os próximos gestores

18
Projeto de construção da nova rodoviária de Porto Velho foi feito na gestão do ex-governador Confúcio Moura

MARCELO FREIRE

O projeto de construção de um novo terminal rodoviário de Porto Velho se tornou um importante desafio aos prefeitos nos últimos 25 anos. Localizada na avenida Jorge Teixeira, na região central da capital rondoniense, a velha rodoviária já resistiu a vários gestores públicos com larga experiência na vida pública, enfrentou o ciclo do garimpo em Rondônia, do boom das usinas do Madeira e agora caminha firme e forte para mais uma nova década.

O local se tornou a segunda porta de entrada de quem sai e desembarca em Porto Velho. Todos os dias é intenso o movimento de pessoas. São centenas de imigrantes desembarcam no local em busca de uma nova vida, na terra de oportunidades chamada Rondônia.

Infelizmente, a rodoviária não reflete a atual realidade urbana que vive hoje o município de Porto Velho, que no próximo dia 24 completa 106 anos de instalação. Quem desembarca pela primeira vez no local, chega a imaginar por alguns momentos que está em outra cidade.

O local não combina com o paisagismo da cidade. Além de não oferecer conforto para as pessoas, é cercada por bêbados, moradores de ruas e traficantes de drogas. Transitar a noite pelo local se tornou um perigoso e não há segurança local. Quem tem lanchonete dentro da rodoviária reclama da falta de higiene e do forte fedor que vem dois banheiros.

Foi na gestão do ex-prefeito Roberto Sobrinho (PT) que ganhou força o projeto para construção da nova rodoviária. No governo do ex-prefeito Mauro Nazif (PSB), a nova rodoviária ganhou um projeto novo, inclusive com o apoio do ex-governador Confúcio Moura (PMDB). E lá se foram 20 anos. Ao que parece, o projeto não andou na gestão do ex-prefeito Hildon Chaves.

O projeto de construção da nova rodoviária necessita de uma atenção especial dos gestores públicos, assim como recebeu a gloriosa Estrada de Ferro Madeira Mamoré, patrimônio histórico de Rondônia. A rodoviária de Porto Velho precisa com urgência ser desativada. O local se tornou pequeno para o fluxo intenso de veículos que circula na região central da cidade e oferece perigo aos pedestres, ciclistas e motociclistas.

O tema passou bem distante do plano de governo dos 15 candidatos a prefeito de Porto Velho, dos debates e da propaganda eleitoral, mas se espera do prefeito reeleito Hildon Chaves, e de sua experiente equipe técnica, um olhar de misericórdia para o local.

As Parcerias Públicas e Privadas (PPPs) foram criadas para socorrer os gestores públicos nos momentos de dificuldade. A população não merece ter que conviver com a atual estrutura do terminal de transporte por mais por mais 4 anos.

*  O autor é jornalista e acadêmico de Direito

Deixe seu comentário
Publicidade