Momento revela insatisfação popular com os poderes

9

 

Solano Ferreira

O primeiro dia do isolamento restritivo em Rondônia, que valerá até o próximo dia 14, mostrou a insatisfação e o descrédito que a população está com os poderes. Mesmo sendo decisão consensual diante da Justiça, a nova portaria não causou qualquer receio no comércio e nas pessoas. São 23 municípios que voltaram para a fase 1 do plano de ação do governo estadual, devido ao aumento de casos de contaminação com o novo coronavírus e a elevação do nível de mortes. Em todos foi percebida a falta de fiscalização e a falta de cumprimento ao isolamento.

De março para este mês de julho já passam de quatro meses de idas e vindas nas decisões com a pandemia sempre crescendo. Nada disso mais assusta o brasileiro. Os discursos desconexos e as autoridades desrespeitando as regras, tem feito com que a população siga os mesmos exemplos. O resultado tem sido desastroso para as famílias com tantas mortes e com tantas perdas de empregos e renda. Tem sido assombroso também para os segmentos empresariais com quebradeiras, falências e crise financeira.

Além do diz e desdiz das autoridades, outro fator que tem gerado insatisfação na população é a onda de corrupção percebida em torno do volumoso dinheiro disponibilizado para o combate a pandemia. As diversas operações policias que vem ocorrendo semanalmente pelo país, com prisões de autoridades e a evidência de malversação do dinheiro público, está causando frustração no povo.

O comportamento em Rondônia não tem sido diferente da população nos demais estados. Insatisfação e frustação vem causando a sensação de tudo perdido, e com isso, nivelando por baixo. Esse reflexo afetará as eleições deste ano quando se espera alto índice de abstenção e anulação de voto. A pandemia está redefinindo os modos de vida no mundo todo, mas por aqui, deve redefinir muito além dos modos de vida.

O autor é jornalista

Deixe seu comentário
Publicidade