Marcos Rogério se manifesta contra interdição de templos em Rondônia

12

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) afirmou nesta quinta-feira (18) em pronunciamento que, a pretexto de combater a pandemia da covid-19, têm sido tomadas atitudes que classificou como totalitárias. O senador listou arbitrariedades que estariam ocorrendo contra templos, incluindo a interrupção de cultos online, mesmo que só estejam presentes três ou quatro pessoas, assim como a interdição desses locais, com alegações de perigo de incêndio.

No caso especifico do seu estado, o Corpo de Bombeiros interditou diversos templos na cidade de Ji-Paraná, por motivos como a falta de corrimão, sinalização de saídas de emergência e outras causas semelhantes. E tudo, segundo o parlamentar, devido a pedido de fiscalização feito pelo Ministério Público.

Para Marcos Rogério, as irregularidades encontradas autorizavam, no máximo, a aplicação de multas, por serem os templos edificações de baixo risco. Por isso, ele interveio para barrar os excessos que estavam acontecendo e obteve um resultado positivo.

— Levei  o caso ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, que é responsável, aliás, pela edição das normas gerais aplicáveis ao modelo nacional de segurança contra incêndios e emergências em todo o País. Outras autoridades do estado se manifestaram no mesmo sentido. É o caso do presidente Laerte Gomes, do PSDB, presidente da Assembleia. Os templos foram desinterditados e o Corpo de Bombeiros concederá o prazo previsto em lei, para que as pendências sejam sanadas, como manda a lei, afirmou.

De acordo com o senador, prevaleceu o bom senso, a razoabilidade e o correto cumprimento das normas vigentes. Acrescentou que o comando do Corpo de Bombeiros mostrou correção e eliminou os excessos.

Fonte: Agência Senado

Deixe seu comentário
Publicidade