Léo Moraes confirma pré-candidatura ao governo e terá Jaqueline Cassol ao Senado

51

Em evento que reuniu lideranças políticas e comunitárias, partidários, simpatizantes e correligionários dos partidos Progressistas e Podemos, em Rolim de Moura, no último sábado, o deputado federal Léo Moraes (Podemos) reafirmou sua disposição em disputar o Palácio Rio Madeira e se colocou como pré-candidato ao governo. Na mesma oportunidade, anunciou uma aliança com a deputada federal Jaqueline Cassol, presidente regional do PP, para apoiar a deputada na disputa à única vaga ao Senado.

Muitos produtores rurais da região da Zona da Mata, uma das mais produtivas do Estado, procuraram Léo Moraes para saber mais de seus planos para o setor primário e pedir o apoio para a busca de alternativas capazes de compensar os altos custos de produção, principalmente num momento em que nos insumos estão cada vez mais caros.

O parlamentar citou algumas importantes ações já desenvolvidas, como uma emenda ao marco regulatório do Programa Nacional de Apoio ao Pequeno e Médio Produtor Rural (Pronampe) que limitou a exigência de garantias ao valor do empréstimo, podendo, inclusive, ser inferior ao valor financiado. Antes, bancos exigiam duas ou até três vezes o valor do empréstimo rural em garantias.

O Pronamp Custeio oferece crédito destinado a promover o desenvolvimento de atividades rurais. Com ele é possível financiar as despesas do custeio da produção agrícola e pecuária, proporcionando o aumento da renda e a geração de empregos no campo. Hoje é a modalidade mais barata e a mais procurada pelo setor produtivo.

Outra medida apresentada por Léo Moraes foi a que determina ao BNDES que destine pelo menos 40% de seus financiamentos às micro e pequenas empresas, incluindo-se aí os pequenos e médios produtores do agronegócio, além da agricultura familiar.

Em conversas com produtores de leite, a deputada federal Jaqueline Cassol lembrou que embora Rondônia seja o maior produtor de leite de toda a Região Norte, possui o menor preço de referência do Brasil (menos de R$ 1,50 o litro).

Membro da Frente Parlamentar de Apoio ao Produtor de Leite, o deputado Léo Moraes, disse que é preciso insistir em políticas de defesa do subsídio ao setor, como fazem os demais países que se tornaram fortes na produção leiteira, além de se buscar ações de curto prazo como o combate à cartelização e aos exorbitantes preços cobrados nos insumos.

Fonte: Assessoria

Deixe seu comentário
Publicidade