Juiz de Rondônia se emociona durante audiência: “Não me deixa morrer!”

"Muitas pessoas estão nessa relação dos deliberados, daqueles que acham que tem super-poderes, que estão imunes a qualquer tipo de contaminação"

128
O juiz Juiz Edenir Sebastião, conduziu audiência para tratar sobre o decreto governamental (Foto TJ)

Um caso muito raro aconteceu nesta sexta-feira (19/03) na 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Velho durante audiência que serviu para tratar da manutenção do decreto governamental que trata de restringir o funcionamento do comércio nos finais de semana no Estado com a proibição de venda de bebidas alcoólicas.

A audiência, que durou mais de cinco horas, foi transmitida pelo YouTube e conduzida pelo juiz Edenir Sebastião. Ao encerrar a audiência, o juiz ficou emocionado ao dizer para os participantes que ora muito para que nenhum parente, amigo ou familiar, tenha a necessidade de se internar nas unidades de saúde públicas e particulares nesse momento de pandemia e que não consiga ser socorrido”.

“Torço para que nenhuma parente, nenhum familiar, tenha a necessidade de se internar em um estabelecimento público ou privada, e perceba que seu parente da família não vai conseguir ter um atendimento e ser socorrido. Eu imagino o sofrimento da família e do paciente…”, desabafou.

Em determinado momento, o juiz Edenir segue: “Eu não sei se na vida dos senhores já aconteceu de um parente precisou de um socorro e disse, olhando nos olhos de vocês:  Eu não quero morrer, não me deixa morrer.” Após o desabafo, o juiz fez uma pausa, respirou fundo e continuou a audiência:  “Essa é uma fala que está presente em muitas famílias. É uma fala que está presente em muitos dos casos que estão acontecendo nos postos de saúde. Essas pessoas estão pedindo esse socorro para nós”.

“DELIBERADOS”

Ele foi mais além e disse que muitas pessoas estão nessa relação dos deliberados, “daqueles que acham que tem superpoderes, que estão imunes a qualquer tipo de contaminação. Pra esses não devemos falar bem feito! Essa mesma fala, “Não me deixem morrer“, estará na fala deles. São pessoas que tiveram uma visão equivocada, não vamos desprezar essas pessoas, que podem entrar nessa mesma situação”.

MAIS HUMANIDADE À CLASSE MÉDICA

Sobre os médicos e profissionais que estão trabalhando na linha de frente do combate ao Covid-19, o juiz Edenir fez outra observação que chamou a atenção dos presentes na audiência. “Temos que fazer com que essas pessoas que trabalham com vidas não perdam a humanidade. Os nossos profissionais não podem se acostumar com a morte. Amanhã ou depois, não teremos uma pessoa nos atendendo. Teremos um corpo com o espírito atormentado que não consegue processar a humanidade. Querendo ou não, são seres humanos.”

OUÇA O AÚDIO:

Na audiência desta sexta-feira (19) ficou decidido que Estado terá de apresentar uma proposta de ação e de divulgação das ações de fiscalização do comércio e se os comerciantes estão seguindo as determinações do governo. Uma nova audiência acontecer na próxima segunda-feira (22).

Fonte: valoremercadoro.com.br

Deixe seu comentário
Publicidade