Google deixará de vender anúncios com base no histórico de navegação

A empresa ganhou US$ 46,2 bilhões no 4º trimestre de 2020 com publicidade digital

32
O Google anunciou nessa 4ª feira (3) que vai parar de vender anúncios baseados no histórico individual de navegação dos usuários a partir do próximo ano

O Google anunciou nessa 4ª feira (3) que vai parar de vender anúncios baseados no histórico individual de navegação dos usuários a partir do próximo ano.

Se a publicidade digital não evoluir para atender às crescentes preocupações das pessoas com sua privacidade e como sua identidade pessoal está sendo usada, arriscamos o futuro da web gratuita e aberta”, disse o diretor de produto, David Temkin, no blog mantido pelo Google.

A decisão não altera a forma como a companhia lida com dados proprietários –ou seja, aqueles que os usuários fornecem ao aderir a um dos produtos da empresa.

O Google anunciou em 2020 que o Chrome, seu navegador, deixaria de autorizar a coleta de cookies de terceiros, principal forma de rastrear o comportamento do internauta. Agora, a empresa afirmou que vai parar completamente de usar a tecnologia e não pretende desenvolver uma nova para substituí-la.

Tornamos explícito hoje que, uma vez que os cookies de terceiros sejam eliminados, não construiremos identificadores alternativos para rastrear indivíduos enquanto navegam na web, nem os usaremos em nossos produtos”, declarou Temkin.

A companhia afirmou acreditar que, mesmo que outras empresas criem mecanismos de rastreio, essas soluções “não são um investimento sustentável de longo prazo”.

Segundo o Google, seus produtos serão projetados para preservar a privacidade e evitar o rastreamento ao mesmo tempo em que fornecem resultados para anunciantes e editores.

As pessoas não deveriam ter de aceitar serem rastreadas na web para obter os benefícios de uma publicidade relevante. E os anunciantes não precisam rastrear consumidores individuais na web para obter melhores desempenho da publicidade digital”, disse o diretor de produto.

A venda de anúncios é a principal fonte de receitas do Google. A empresa ganhou US$ 46,2 bilhões no 4º trimestre de 2020 com publicidade digital –valor que representa 82% de seu faturamento.

Para manter os ganhos com publicidade digital, o Google disse estar trabalhando em uma forma de “esconder” as pessoas, agrupando usuários com comportamentos semelhantes.

A empresa planeja realizar testes de venda de espaços publicitários usando esse método no 2º trimestre de 2021.

Fonte: Poder360

Deixe seu comentário
Publicidade