Energisa obtém R$ 1,5 bi para distribuição junto ao BNDES

4
A autorização é para conexão ao SIN das localidades de Campo Novo, Costa Marques, Cujubim, Buritis, Machadinho D’Oeste, Paracaranã, São Francisco, Vale do Anari, União Bandeirantes, Nova Califórnia, Vila Extrema e Vista Alegre

A Energisa fechou a contratação de financiamento junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, via repasse direto, e junto ao banco repassador, via repasse indireto, na modalidade FINEM, para nove distribuidoras do grupo. O valor da operação totaliza R$ 1,49 bilhão e serão destinados ao financiamento dos investimentos no ciclo de 2020/21 das concessionárias.

Serão destino recursos para as distribuidoras do Mato Grosso (EMT), Mato Grosso do Sul (EMS), Sergipe (ESE), Sul-Sudeste (ESS), Tocantins (ETO), Acre (AC), Minas Gerais (EMG), Paraíba (EPB) e Rondônia (ERO). Os contratos têm prazo total de 14 anos, amortização de 153 meses, carência de 15 meses e custo de TLP+ 3% ao ano na operação com o BNDES e de TPL+3,23% a.a. com o banco repassado.

O BNDES destacou que apoiará o plano de investimentos de 9 distribuidoras da Energisa, com foco na melhoria dos serviços, expansão da rede de distribuição e ampliação do número de clientes atendidos. Ao todo, estas empresas atendem 10 diferentes estados. O financiamento da instituição federal será de R$ 965 milhões na modalidade direta e R$ 522 milhões por meio indireto.

A operação no âmbito do Finem – Distribuição de Energia Elétrica, concede crédito individual a cada uma das nove companhias. O prazo de execução do projeto é de até dois anos e a perspectiva é de geração de 7.162 empregos durante a sua implantação.

Os planos de investimentos das distribuidoras envolvem sobretudo aquisição de equipamentos e realização de obras com vistas à modernização de infraestrutura e melhoria operacional. “Todos esses investimentos são fundamentais para o desenvolvimento econômico nas áreas de atuação das companhias, de forma a contribuir para o suprimento da demanda crescente por energia”, ressalta o BNDES.

O apoio busca a melhoria da qualidade e minimizar perdas técnicas e comerciais das distribuidoras, aspectos controlados pela Aneel e que influenciam no cálculo das tarifas.

Em agosto de 2020, o BNDES destaca o apoio ao plano de investimentos 2020/2021 da Coelba, Celpe, Cosern e Elektro, concessionárias da Neoenergia. Foram financiados R$ 3,39 bilhões em recursos para melhoria dos serviços prestados a 14,1 milhões de clientes.

Fonte: Canal Energia

Deixe seu comentário
Publicidade