É preciso avançar em conhecimento para alcançar o desenvolvimento

Os investimentos em ciências e tecnologias são necessários para o crescimento pleno e sustentável

2

SOLANO FERREIRA

Enquanto no Brasil ainda se intriga sobre as primeiras vacinações, protocolos clínicos e sociais, e ainda se distribuiu caixinhas de isopor aqui e acolá com poucos lotes de vacinas, em países europeus as demandas estão bem mais avançadas. Apesar de manter o controle epidemiológico com isolamento e distanciamento, uso de máscara e vacinação em massa, nesses países já se trabalha estruturas para combater possíveis novas cepas do coronavirus. O risco não foi embora e o problema ainda não acabou. Enquanto se investe em controlar e combater o vírus atual, os países europeus e asiáticos investem paralelamente em novas pesquisas para conter futuras pandemias que não devem demorar para acontecer.

Muitas pessoas procuram comparar ‘países menos desenvolvidos’ com ‘países mais desenvolvidos’. No contexto de desenvolvimento é melhor medir os resultados de ‘países que mais investem em ciências e tecnologias’ com os pífios resultados dos ‘países que menos investem em ciências e tecnologias’. Enquanto os grandes países procuram água em Marte, os países menos desenvolvidos tentam resolver problemas com mudanças de bulas.

Os investimentos em ciências e tecnologias são necessários para o crescimento pleno e sustentável. Não se trata de remediar problemas, mas de se buscar alternativas mais amplas que vislumbrem o presente e o futuro. A exemplo, enquanto no Brasil se debate sobre o que fazer com estruturas ultrapassadas como Correios e Petrobras, o mundo acelera em logísticas eficazes, fabricação de veículos autônomos e elétricos e constroem novas estações espaciais.

Quando se investe em pesquisas, ciências e tecnologias é possível ver uma reestruturação econômica e social surpreendente como vem ocorrendo, por exemplo, na Coreia do Sul, China e países árabes. Por lá, os sheiks estão esvaziando os poços de petróleo e investindo em turismo sustentável, cidades verdes em pleno deserto, centros de negócios e alternativas inovadoras. Os orientais avançam em tecnologias, produção de alimentos e aperfeiçoamento de industrialização. Para um salto de crescimento é preciso promover o desenvolvimento. Investir em conhecimentos é elementar para objetivos grandes.

O AUTOR É JORNALISTA

Deixe seu comentário
Publicidade