Depois de Google e Apple, Amazon também suspende Parler, rede da direita

7

A Amazon decidiu suspender a rede social Parler de seu serviço de hospedagem digital a partir da meia noite deste domingo (10.jan.2021). A informação foi publicada pelo fundador e CEO da rede, John Matze, em uma postagem feita na própria rede.

Antes, Google e Apple resolveram retirar o Parler de suas lojas de aplicativos. As empresas querem que haja algum tipo de moderação do conteúdo na rede social.

O Parler ganhou notoriedade nos últimos dias por causa do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Ele foi banido do Twitter e suspenso no Facebook e no Instagram. As empresas afirmam que trata-se de uma “resposta” à violência em Washington, capital dos EUA, em 6 de janeiro.

Desde que perdeu a eleição para Joe Biden, em novembro de 2020, Donald Trump afirma sem provas que a votação foi fraudada. O discurso inflamou seus militantes mais fiéis.

Na 4ª feira (6.jan.20201), uma multidão de trumpistas inconformados com a derrota de Trump para Joe Biden nas eleições presidenciais invadiu o Congresso dos EUA e tentou impedir a certificação do resultado. O tumulto terminou com 5 pessoas mortas e mais de 90 presos.

John Matze, do Parler, declarou que a ação da Amazon é “uma tentativa de remover completamente a liberdade de expressão na internet”.

“É possível que o Parler fique indisponível na internet por até uma semana”, afirmou. “Isso foi um ataque coordenado das gigantes da tecnologia para matar a competição”, escreveu Matze. Eis a íntegra da declaração (em inglês):

O Parler é uma rede social com muitos adeptos entre pessoas de direita no espectro ideológico por permitir a postagem de conteúdos sem restrições . Não tem, como outras redes sociais, práticas de moderação que indiquem que um conteúdo é duvidoso.

O Twitter, por exemplo, chegou a marcar como “contestável” uma publicação em que Donald Trump afirmava que a eleição dos EUA foi fraudada.

Trump é usuário do Parler. Depois que o presidente dos Estados Unidos foi suspenso ou banido das outras redes sociais, o chefe do Executivo do Brasil, Jair Bolsonaro, convidou seus seguidores no Instagram a entrar no Parler.

Fonte: Poder360
Deixe seu comentário
Publicidade