De olho no governo, Confúcio Moura começa a percorrer os 52 municípios

34
Governador Confúcio Moura, durante convenção do MDB. (foto Fábio Souza)

DA REDAÇÃO – Alegando que há 16 anos não tira férias, o senador Confúcio Moura (MDB) entrou de licença por um período de 4 meses. Na realidade, o afastamento temporário servirá para o ex-governador sentir o termômetro das eleições 2022, segundo revelou uma fonte ao site.

Ao longo dos próximos 120 dias, o emedebista vai percorrer os 52 municípios, conversar com lideranças políticas e, no final das férias, avaliará se disputará o comando do Centro Político Administrativo do Estado.

Amigos próximos de Moura disseram que se o senador Marcos Rogério (DEM) desistir de disputar o governo, o atual governador, Marcos Rocha (PSL), será fácil de ser eliminado do processo eleitoral logo no primeiro turno.

CRÍTICAS AO GOVERNO

Essa semana, durante votação do Zoneamento Sócio-Econômico do Estado de Rondônia, na Assembleia Legislativa, deputados criticaram a postura do ex-governador Confúcio Moura no final de seu governo de criar, por meio de decreto, 11 reservas. “Acho que ele (Confúcio Moura), estava com bastante febre quando fez isso”, disse o deputado Lazinho da Fetagro (PT).

Dentro do PSL-DEM, partidos que se unificaram, começou uma disputa bem acirrada para disputar o comando da legenda no Estado. O senador Marcos Rogério ganhou o compromisso do presidente Jair Bolsonaro de apoiar o prefeito Hildon Chaves (PSDB) em uma eventual desistência de disputar as eleições ao governo de Rondônia.

Há quem diga que o governador Marcos Rocha deve deixar o partido antes da convenção nacional que homologará a fusão do PSL-DEM. Mas até lá, o cenário político para eleições de 2022 será outro.

Fonte: Redação Valor

Deixe seu comentário
Publicidade