Assembleia busca ajuda do governo federal para resolver conflito em Rio Pardo

5
Audiência pública realizada no distrito de Rio Pardo (Foto Diego Queiroz)

Os deputados estaduais vão se reunir em Brasília, essa semana, para agenda junto ao Ministério da Agricultura, Incra e Ibama no objetivo de buscar uma saída para as famílias que residem na região de Rio Pardo, distrito de Porto Velho. Os moradores vivem em clima de insegurança por conta da falta de regularização fundiária.

Na última sexta-feira, a Assembleia Legislativa realizou audiência pública para tratar do assunto. O presidente da Assembleia, deputado Alex Redano (Republianos), disse que a localidade está ocupada há anos e já está consolidada, o caminho correto é o de buscar a regularização fundiária.

“Não tem mais o que se discutir: a área está ocupada por famílias de trabalhadores rurais e a regularização fundiária deve ocorrer de forma justa e equilibrada”, disse Redano, que junto com outros deputados estaduais se reúne em Brasília com a bancada federal de Rondônia nesta semana, para uma agenda junto ao Ministério da Agricultura, Incra, Ibama e possivelmente com o Presidente Jair Bolsonaro, para buscar uma solução para o conflito.

“Não há como dizer que o Estado não reconhece a área como produtora, pois temos aqui em Rio Pardo aqui a presença do Estado através da Idaron, Seagri, DER, Polícia Militar, Seduc. O Município de Porto Velho também está aqui presente com uma escola municipal, transporte escolar, posto de saúde. Até o Ibama e o ICMBio sabem que aqui não há mais floresta há anos e que se trata de uma importante região produtora de Rondônia”, disse o deputado, que recebeu com alegria a noticio que o governo de Rondônia vai promover o levantamento sócio-econômico e ambiental de Rio Pardo, sem custos para os produtores, o que é fundamental para que se consiga a definitiva regularização.

“Com esse estudo, vamos apresentar ao governo federal e ao governo do Estado a importância de Rio Pardo e de sua gente para o desenvolvimento de Rondônia. Rio Pardo precisa desse reconhecimento. Essa gente sofrida que há mais de 20 anos vive aqui produzindo, criando suas famílias, merece no respeito de todos e o reconhecimento do Estado. Sempre estivemos juntos e vamos continuar defendendo forte essa região, sem medir esforços para que essa luta seja vencida com glórias para os nossos produtores rurais”, disse.

LEIA AINDA:

Assembleia estuda ato legislativo para anular criação de 11 reservas

Fonte: ALE e Redação

Deixe seu comentário
Publicidade