Assembleia autoriza R$ 15,6 mi para investimento no ProLeite; 33 mil produtores serão beneficiados

73
Produtores de leite estavam insatisfeitos com o preço que é pago pelos laticínios

A Assembleia Legislativa autorizou o governo do Estado a destinar R$ 15,6 milhões para investimento no Fundo de Investimento e apoio ao Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira (Proleite). A aprovação acontece um mês após os produtores rurais realizarem manifestação em todo o estado em decorrência da queda do preço do produto nos laticínios.

O projeto é de iniciativa do governo do Governo do Estado. Na mensagem, o governo destaca que os municípios e distritos serão beneficiados em 50 (cinquenta) mil toneladas de calcário para correção da acidez do solo, atendendo os produtores de leite e a agricultura familiar, uma vez que investir no transporte de calcário é projetar a produsa de forma expansiva, especialmente por Rondônia apresentar aproximadamente 60% (sessenta por cento) dos solos classificados como latossolos Vermelho-Amarelos Distróficos, com características de elevada acidez. Esta ação, se apresenta como a primeira de manejo para aumentar a eficiência da adubação orgânica utilizada nas áreas de pastagens.

O governo destacou esclareceu que serão destinados tanques de resfriamento de leite às prefeituras dos 52  municípios de Rondônia, aproximadamente 33.000 produtores  de leite nesse Estado, para a realização de chamamento público às associações e cooperativas. “Neste contexto, equipamentos agrícolas e implementos que irão contribuir para reduzir o grau de dificuldade dos trabalhos, já que o sistema de produção adotado pelos produtores rurais é desprovido de tecnologias disponíveis no mercado e deficitário no uso de insumos e implementos agrícolas”, diz a mensagem do governo.

Pela proposta, os equipamentos e implementos tais como distribuidores de calcàrio, carretas agrícolas hidráulicas, empacotadeiras e compactadoras de silagem, beneficiarão os produtores rurais no estado de Rondônia e serão utilizados no preparo do solo, combate às plantas daninhas e pragas agrícolas, colheita e pós- colheita e processamento destes, contribuindo na redução do desperdício na colheita dos produtos, concomitantemente aumentando a área produzida.

Fonte: valoremercadoro.com.br

Deixe seu comentário
Publicidade